Sete Sugestões Para Turbinar O Currículo

São Paulo - “Por que o empregador da Nova Zelândia contrataria você, um profissional que está no Brasil e ele não conhece? Sua estratégia foi dessa maneira reunir dinheiro no Brasil, escolher uma pós-graduação pra fazer na Nova Zelândia para aí sim começar a distribuir currículos e tentar trabalhar em sua área de geração.

Advertisement

Até nesta hora teu plano está dando certo: conseguiu até uma bolsa de estudos e está cursando mestrado em sistemas de fato pra negócios, na Faculdade de Canterbury, em Christchurch, na ilha sul. Ter uma qualificação concluída no povo é, sem dúvida, uma das chaves que abrem as portas do mercado local pros estrangeiros. ] Em 1973 /p>

A Nova Zelândia tem iniciativas pra trazer “cérebros”, em tão alto grau interessados em aprender no país assim como também em trabalhar. Mas, segundo eles, há outro segredinho que pode ajudar a revelar o currículo dos candidatos em busca de emprego no povo: proporcionar alguma experiência em trabalho voluntário para uma organização pela Nova Zelândia.

Advertisement

Vale comprovar que estrangeiros com visto de estudante podem trabalhar até vinte horas por semana. No blog da imigração é possível surgir todos as modalidades de porque o governo dá. “Voluntariado é considerado trabalho, é um caminho pra atingir emprego remunerado depois visto que é uma referência que você consegue pela Nova Zelândia mesmo que não seja em sua área profissional.

  • A característica da ciência que a torna superior à religião, à arte e à crendice é
  • O que é copra
  • Deixe que todos saibam sobre isto teu novo negócio
  • Foque suas competências
  • O conectivo comparativo presente no texto só não podes ser substituído por
  • Vera falou

Ele conta que trabalhou seis meses como voluntário no zoológico da capital Wellington. “ Fazia de tudo um pouco, limpava áreas comuns, carregava comida pros animais, só não lidava diretamente com os bichos, claro”, lembra. De acordo com ele, a oferta para voluntários é bem ampla. Desde o início, o plano de Costa para se estabelecer de vez pela Nova Zelândia combinou serviço voluntário com a qualificação. Ano anterior, ele se formou em curso de especialização em programação e engenharia de software TI na Weltec e nesse ano está trabalhando como assistente de professor na mesma associação, como voluntário.

Advertisement

Teu propósito é absorver experiência para seu plano de carreira acadêmica. “Quero fazer doutorado, doar aula em escola ou trabalhar com pesquisa”, conta. Trabalho voluntário é bem como precisamente o que tem feito Carlos André Teixeira, de 47 anos, estudante de inglês da escola New Horizon, em Napier. Ele é agrônomo por geração no Brasil e especializado na área ambiental e quer proporcionar fontes profissionais na cidade. “Trabalho pra corporações e ONGs”. Uma delas é a Hohepa, que tem como tarefa aprimorar a qualidade de existência de pessoas com necessidades especiais. “Ajudo no dia-a-dia, e apoio as atividades na organização.

Por ter estas 20 horas de trabalho semanal como estudante, estou desenvolvendo um caminho para mim aqui”, conta. Conheça A Entrevista De Emprego Mais complicado Do Mundo, Criada Por Thomas Edison , ele começou a trabalhar no hotel. Desembarcou no país com uma modalidade de visto que é concedida uma vez ao ano e é bem disputada, o Work Holiday Visa, que permite trabalho por um ano no nação. “Quando cheguei eu procurei emprego no setor de design entretanto não achei nada”, conta.

Advertisement

Aberto a atuar em qualquer área, foi trabalhar no Ridges, organizando salas de conferência, primeiramente. “Nunca tinha trabalhado com isso, com o tempo passei pelo boteco, na cozinha, pelo salão do restaurante”. Sua proatividade chamou a atenção dos chefes e ele passou a ser requisitado pra algumas funções. “Cheguei a fazer 115 horas de serviço por semana”, conta. No momento em que o período do visto expirou, Silva se inscreveu em um curso de um ano design pela ACG Yoobee School of Design. Com visto de estudante, continuou trabalhando no hotel, mas foi chamado a permanecer na portaria.

Ao mesmo tempo conseguiu estágio não remunerado fazendo ilustrações uma vez por semana para a loja de roupa Mister Vintage, em Auckland, durante 5 meses. Era a primeira fonte profissional em sua área. Quando descobriu que o gerente de marketing do hotel passaria a ficar não mais em Wellington todavia em Auckland, Silva não teve indecisão. “Falei: almejo fazer estágio com ele”, conta.

Advertisement

Conseguiu convencê-lo após alguma dedicação a estagiar uma vez por semana na área de marketing do hotel, sem receber nada mais deste jeito. “Comecei a fazer uns trabalhos que eles antes contratavam agência para fazer e eles perceberam que estavam economizando dinheiro”, diz. Efeito: está empregado há 2 anos e há um passou a trabalhar em tempo integral neste departamento do hotel. “Demorou para aparecer onde cheguei, todavia sempre estive disposto a trabalhar. Coluna Emprego Destaca A Busca De Oportunidades Pela Internet estágio é uma interessante. Tem que bater pela porta e discursar: desejo fazer estágio aqui”, recomenda.

Share This Story

Get our newsletter